Com a licença de Bruno Covas por 30 dias, para focar seu tratamento de saúde contra o câncer, o vice-prefeito Ricardo Nunes assumirá a Prefeitura de São Paulo esta semana após autorização da Câmara Municipal. O emedebista entrou na chapa vencedora das eleições 2020 após dois mandatos como vereador na maior cidade do Brasil. Sua base de apoio vem do movimento católico e também de comerciantes e empresários da zona sul de São Paulo. Em seu primeiro mandato como vereador, fez parte da base de apoio do então prefeito Fernando Haddad (PT) e foi interlocutor da igreja católica no legislativo paulistano.

Fez parte da comissão de finanças na Câmara e chegou a defender que sexualidade não deveria ser tema nas salas de aula do município. Em sua reeleição, em 2016, integrou a base aliada de João Doria e Bruno Covas até ser indicado a vice no ano passado, em articulações entre o MDB e os tucanos. No segundo mandato, Ricardo Nunes compôs CPIs e propôs lei sobre um sistema de transporte público hidroviário em São Paulo na Represa Billings, seu reduto eleitoral. O pedido de licenciamento do prefeito será enviado nesta segunda-feira, 3, aos vereadores para que Nunes possa tomar posse.

*Com informações do repórter Fernando Martins