Na manhã desta sexta-feira, 26, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), realizou a primeira reunião com governadores após a criação do comitê de crise para o combate da pandemia do novo coronavírus, anunciado na quarta-feira, 24, pelo presidente Jair Bolsonaro. O encontro virtual contou com a presença de representantes dos 26 Estados e do Distrito Federal – Sergipe, São Paulo e Tocantins foram representados pelos vice-governadores. Pacheco é o responsável pela interlocução com os gestores estaduais.

Segundo apurou a Jovem Pan, o Fórum de Governadores pediu a Pacheco que as parcelas do auxílio emergencial sejam de R$ 600, para compensar os três meses nos quais não houve o pagamento do benefício – em sua live semanal, na noite desta quinta-feira, 25, Bolsonaro afirmou que a primeira parcela deve ser paga “no início da semana que vem, dia 4 ou 5” de abril. Além disso, os gestores estaduais querem que o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, apresente um cronograma de entrega de vacinas aos Estados com a estratégia para que o país alcance 1 milhão de vacinados com primeira dose por dia até meados de abril e, posteriormente, 2 milhões de vacinados diariamente a partir de maio. Os governadores também pleiteiam a inclusão de representantes de Estados e municípios no comitê nacional e defendem que o Brasil peça socorro à Organização das Nações Unidas (ONU).

“Estamos muito otimistas. Identifiquei, por parte dos governadores, enorme boa vontade, um grande espírito público. Todos muito sensibilizados com esse momento que estamos vivendo, buscando alternativas, buscando tentativas muito sinceras para esse enfrentamento. Esse anseio geral dos governadores, ao mesmo tempo os pontos que destacam na reunião que fizemos hoje, farei questão de levar ao presidente da república para que cheguemos a um denominador comum no enfrentamento”,  disse Pacheco em coletiva de imprensa após a reunião.