Ministro da Educação anuncia saída de Danilo Dupas da presidência do Inep

Katy Meira
Katy Meira

Danilo Dupas vai deixar a presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O anúncio foi feito pelo ministro da Educação Victor Godoy nesta quarta-feira (27) pelas redes sociais.

Godoy publicou que a saída de Dupas “ocorreu por motivos pessoais e a pedido” e agradeceu “por todo o trabalho realizado nesse período, que trouxe avanços importantes para a Autarquia”.

Ainda segundo o ministro, Carlos Moreno será o novo presidente do órgão a partir de 1º de agosto. O Ministério da Educação (MEC) confirmou a nomeação em uma nota enviada à imprensa. Moreno é o sexto nome a ocupar o cargo no governo Bolsonaro (veja mais abaixo).

“Anuncio que a partir de 1° de agosto o diretor Carlos Moreno será o novo presidente do Inep, respondendo interinamente e garantindo a continuidade dos exames e avaliações fundamentais para toda a sociedade brasileira”, escreveu Godoy numa rede social.
A saída de Dupas ocorre a menos de 4 meses da aplicação do Enem 2022, que acontecerá nos dias 13 e 20 de novembro.

O Inep é um órgão do MEC e é responsável pela aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), entre outros.

Questionado sobre a aplicação do Enem durante entrevista à Globonews nesta quarta-feira, Moreno diz que vai cumprir os objetivos do Inep.

“O primeiro desafio é a garantia das entregas que o Inep precisa fazer para a sociedade ainda este ano. O Revalida, o Enade e sobretudo o Enem. Já que estamos a 4 meses deste exame, temos que empreender todos os esforços para garantir para os estudantes, sobretudo àqueles que estão concluindo o ensino médio, total normalidade até a execução desse exame”.
“Minha missão é cumprir os objetivos da instituição. Vamos estar aqui engajados no cumprimento dos objetivos da instituição. As questões ideológicas não farão parte da minha gestão”, completou.

Sobre a acusação feita por servidores da entidade de perseguição durante a gestão de Danilo Dupas, Moreno afirmou que “questões ideológicas não vão fazer parte da minha gestão”.

Passagem pelo Inep
De acordo com o currículo do servidor disponível no site do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio é servidor de carreira do Inep desde 1985. Ele é graduado em Estatística, possui mestrado em Estatística e Métodos Quantitativos e é doutorando em Educação.

Desde 2010, ele é diretor de Estatísticas Educacionais (DEED) da autarquia. Uma de suas funções é elaborar, operacionalizar a aplicação e divulgar levantamentos estatísticos sobre a educação básica, como o Censo Escolar, e sobre a educação superior, por meio do Censo de Educação Superior.

A diretoria também coordena as ações relacionadas a produção, tratamento e disseminação de indicadores educacionais e pesquisas estatísticas em articulação com órgãos nacionais e internacionais.

Moreno ainda foi servidor da Universidade de Brasília (UnB) entre 1984 e 1985, e lecionou a disciplina Estatística Aplicada à Educação no curso de Ciências da Educação do Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb) de 2004 a 2007.

Dupas no Inep

Danilo Dupas Ribeiro assumiu a presidência da autarquia em fevereiro de 2021, após a exoneração de Alexandre Lopes.

Durante a gestão de Dupas, o Inep passou por uma debandada de mais de 30 servidores semanas antes da aplicação do Enem 2021. Na ocasião, os servidores justificaram que o pedido de dispensa se devia a “fragilidade técnica e administrativa da atual gestão máxima” do órgão.

Na mesma época, o Ministério da Educação teve que esclarecer à Comissões da Câmara dos Deputados a suspeita de que houve interferência política na elaboração do exame. A convocação aconteceu após o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmar que o Enem começava a ter a “cara do governo”.

Troca de cargos
Moreno é o sexto nome a ocupar a presidência do Inep desde 2019. Confira abaixo a cronologia:

Maria Inês Fini, que desempenhava a função no governo Temer, foi demitida em 14 de janeiro de 2019.
Marcus Vinicius Rodrigues a substituiu. Ele foi a primeira nomeação do governo Bolsonaro para o Inep e permaneceu no posto de 22 de janeiro a 26 de março do mesmo ano.
Elmer Vicenzi foi anunciado em 15 de abril pelo então ministro da Educação, Abraham Weintraub. Saiu no dia 16 de maio de 2019.
Alexandre Lopes se tornou o novo ocupante do órgão em 17 de maio e foi exonerado em 26 de fevereiro de 2021.
No mesmo dia, Danilo Dupas Ribeiro foi nomeado presidente da autarquia. Sua saída ocorreu em 27 de julho de 2022.
Ainda no dia 27 de julho, Carlos Eduardo Moreno Sampaio foi anunciado como presidente interino do órgão.

Share This Article
Leave a comment

Deixe um comentário