Desde o último mês, o eurodeputado espanhol Miguel Urbán Crespo tem criticado publicamente a condução da pandemia de Covid-19 no Brasil. Em suas falas, o político culpa o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelas mortes de infectados e afirma que o chefe do Executivo é “perigoso”. No último mês, Crespo acusou o presidente no Parlamento Europeu. “A necropolítica de Bolsonaro constitui um crime contra a humanidade”, disse na ocasião. Nesta segunda-feira, 24, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) decidiu ir às redes sociais para se pronunciar sobre as críticas do político espanhol. Rebatendo a acusação de que o Brasil é o epicentro da pandemia, em vídeo, Eduardo não negou a gravidade da doença no país, mas deu suas explicações. “É verdade que o Brasil passa por uma situação grave. No entanto, isso acontece porque circulam pelo país novas variantes que não foram criadas por Bolsonaro. O presidente está fazendo sua parte, inclusive até se pronunciou em rede nacional para alertar a população sobre a gravidade das novas cepas. Amanhã, uma variante nova também pode surgir na Espanha”, afirmou o deputado.

Eduardo também se posicionou sobre as acusações de que a vacinação contra a Covid-19 é lenta no país. “Não vivemos uma situação de normalidade. Não estamos falando sobre uma vacina que está há anos no mercado, mas sim sobre um imunizante escasso. Para te dar um exemplo de como está a vacinação no Brasil, se nosso país tivesse a quantidade de habitantes da Espanha, quase 100% da população estaria vacinada. Isso porque estamos fazendo o máximo possível para enfrentar a pandemia.” Atualmente, 41.961.572 brasileiros receberam a primeira dose das vacinas contra a Covid-19. No total, 20.659.187 pessoas completaram o esquema vacinal no país. Considerando que o Brasil possui 211 milhões de hábitantes, 9,7% da população está imune contra o coronavírus.