O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas descartou a possibilidade das pessoas recebam uma eventual terceira dose da vacina CoronaVac. Atualmente, o imunizante é aplicado em duas doses, o que, segundo ele, garante a eficácia do composto. “Essa vacina tem uma alta eficiência. Ou seja, ela é capaz de proteger contra os sintomas da doença, contra as internações e contra os óbitos em todas as faixas etárias acima de 18 anos, incluindo os idosos. A vacina é eficiente e nesse momento não existe a necessidade de se preocupar com a terceira dose”, disse. Nesta quinta-feira, 27, Dimas Covas presta depoimento nesta quinta-feira, 27, na CPI da Covid-19 no Senado Federal. Os senadores demonstram grande expectativa com o depoimento. Para Eduardo Girão (Pode), o diretor do Butantan pode elucidar diversas dúvidas dos parlamentares. O parlamentar acrescenta que o testemunho será importante também para confrontar o cronograma de compra, fabricação e entrega.

“É muito importante que a gente cruze os dados que o Dr. Covas vai trazer para a CPI com os depoimentos que nós tivemos dos ministros da Saúde, tanto o atual como os demais, para a gente entender como foi o cronograma”, disse o parlamentar. Inicialmente, o depoimento marcado para esta quinta-feira seria do ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco. Porém, ele informou a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que ainda está se recuperando do diagnóstico de Covid-19 que teve no dia 3 de maio.
Ainda não há uma nova data definida para oitiva.

*Com informações do repórter Daniel Lian