A decisão de afastar o deputado Fernando Cury após ser flagrado apalpando a deputada estadual Isa Penna deve ter o aval de maioria simples, em votação no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo. A data para a análise do caso será definida nesta segunda-feira, 29, em reunião de líderes comandada pelo presidenta da Casa, Carlão Pignatari. Aliados de Cury conseguiram maioria para livrá-lo da suspensão de seis meses proposta pelo relator do caso.

Por 5 votos a 4, o Conselho de Ética aprovou um abrandamento da punição para 119 dias. O afastamento por menos de 120 dias permite que o gabinete do deputado siga em funcionamento, sem necessidade de convocar um suplente. Já a proposta de seis meses obrigaria a exoneração dos assessores. Nos dois casos, o deputado fica sem receber salário. Isa Penna e aliados trabalham na mobilização para que o plenário reverta a decisão do Conselho de Ética e aplique a cassação do deputado.

A parlamentar está decidida a questionar na Justiça caso não haja possibilidade de apresentar emendas que modifiquem a punição de suspensão para cassação. “A burocracia da Alesp está tentando nos obstruir de apresentar uma emenda, prevista no regimento interno da Casa, mas que a Assembleia está querendo uma razão para justificar o injustificável.” Na Assembleia, a deputada já conta com apoio da bancada do PSOL, de petistas, da bancada do Novo e da deputada Marina Helou da Rede.

*Com informações da repórter Caterina Achutti