O vice-presidente da CPI da Covid-19, Randolfe Rodrigues, protocolou, na manhã desta quarta-feira, 26, requerimento para convocar o presidente Jair Bolsonaro para depor na comissão. “A cada depoimento e a cada documento recebido, torna-se mais cristalino que o presidente da República teve participação direta ou indireta nos graves fatos questionados por esta CPI”, justificou o parlamentar. No pedido de convocação, aponta “o boicote sistemático à imunização da população” como o principal fato a ser esclarecido pelo chefe do Executivo federal.

Randolfe Rodrigues também atribui a Bolsonaro “o combate às medidas restritivas, como o uso de máscaras e o distanciamento social; o estímulo ao uso indiscriminado de medicamentos sem eficácia comprovada e à tese de imunidade de rebanho”. O vice-presidente da comissão também cita “as omissões do governo federal na aquisição de insumos e medicamentos para as UTIs; as omissões em relação à proteção contra a covid-19 dos povos indígenas e quilombolas; e, principalmente, o boicote sistemático à imunização da população, deixando de adquirir vacinas da Pfizer em 2020 e no primeiro trimestre de 2021, atacando a China e a vacina Coronavac, colocando em risco o fornecimento do IFA das duas principais vacinas aplicadas no Brasil”.