O corpo do senador Major Olímpio (PSL-SP), que teve morte cerebral em razão de complicações causadas pela Covid-19, será cremado nesta sexta-feira, 19. Antes, segundo a família do parlamentar, será realizada uma carreata que partirá do hospital São Camilo, localizado no bairro paulistano de Santana, até chegar ao Cemitério e Crematório Primavera, em Guarulhos. No comunicado, os familiares reforçam que durante a homenagem serão seguidos protocolos de segurança contra o coronavírus. “Serão respeitadas as medidas de segurança sanitária, onde não será necessário que os presentes saiam dos seus veículos”, diz a nota. A cerimônia de cremação será restrita aos familiares.

Diagnosticado com Covid-19 no início do mês, Olímpio foi intubado pela primeira vez no sábado, 6. Com a melhora no quadro de saúde, foi extubado na terça-feira, 9. Com a piora, voltou a ser intubado na quarta-feira, 10. Desde então, segundo relatou à Jovem Pan uma pessoa próxima ao senador, seu quadro de saúde não apresentou evolução. Também infectado, seu assessor parlamentar, Diego Freire, de 33 anos, também está internado em um hospital no Distrito Federal desde o início do mês, em estado grave, com comprometimento dos pulmões.

Major Olímpio foi o terceiro senador a morrer em decorrência da doença. Antes dele, faleceram Arolde de Oliveira (PSD-RJ), aos 83 anos, em outubro de 2020, e José Maranhão (MDB-PB), aos 87, em fevereiro deste ano. A conta oficial do senador no Twitter ainda informa que a doação de órgãos era um desejo dele e chegou a ser autorizada pela família. No entanto, “por conta da questão da covid-19, os médicos avaliaram que não seria possível a realização”. Natural de Presidente Venceslau (SP), Olímpio foi o senador mais votado em 2018, com mais de 9 milhões de votos.