O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta quinta-feira, 20, a possibilidade de voltar ao Progressistas, partido ao qual foi filiado de 2005 a 2016. O presidente está sem partido desde 2019, quando anunciou a saída do PSL. Bolsonaro, então, criou uma nova legenda, o Aliança pelo Brasil, visando a sua candidatura à reeleição em 2022. A criação do Aliança, porém, não vingou e o chefe do Executivo começou a sondar outras possibilidades. Durante seu discurso na cerimônia de liberação da ponte sobre o Rio Parnaíba, entre os estados do Piauí e Maranhão, em Santa Filomena (PI), o presidente afirmou que o PP é uma de suas opções. Antes do pronunciamento de Bolsonaro, o senador Ciro Nogueira (PP-PI) entregou uma pedra de opala ao presidente. “Eu acho que o Ciro tá apaixonado, hein?”, brincou Bolsonaro ao receber a joia.

Em outro momento, Bolsonaro agradeceu Ciro pelo presente e falou sobre a possibilidade de se filiar ao partido do aliado. “Agradeço a Ciro Nogueira, meu velho colega de Parlamento. Fui do partido Progressistas dele por muito tempo. Ele não está apaixonado por mim não, pessoal, mas ele tá me namorando. Ele quer que eu retorne ao partido Progressista”, disse. “Quem sabe? Se ele for bom de papo, quem sabe a gente volte para lá. Não estou me fazendo de difícil não, é um grande partido”, questionou. Além do PP e PSL, Bolsonaro já foi filiado ao PDC (1990-1993), PPR (1993-95), PPB (1995-2003), PTB (2003-2005), PFL (2005) e PSC (2016-2017).