Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro realizam atos em diversos Estados brasileiros neste sábado, 1º, feriado do Dia do Trabalho. Munidos de cartazes, faixas, bandeiras e carros de som, os manifestantes interromperam o trânsito em passeatas e carreatas a favor do governo. Imagens que circulam nas redes sociais mostram que os eventos estão sendo realizados em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Belém e em outras capitais brasileiras.

Além de mensagens de apoio ao presidente, os manifestantes criticam as medidas de isolamento social impostas por Estados e municípios para diminuir a propagação do novo coronavírus. Os participantes também fazem críticas aos partidos e movimentos de esquerda e ao Supremo Tribunal Federal (STF). A hashtag #EuAutorizoPresidente é uma das mais comentadas no Twitter na manhã deste sábado. Em São Paulo, os atos tomaram conta de parte da avenida Paulista com carros de som e passeatas. Os apoiadores no Rio de Janeiro bloquearam a avenida Atlântica, na orla de Copacaba. Já em Brasília as manifestações estão concentradas em frente a Esplanada dos Ministérios.

Mais cedo, ao participar por videoconferência na abertura da 86ª edição da Expozebu em Uberaba, em Minas Gerais, Bolsonaro disse que o seu governo “preserva a propriedade privada” e ressaltou que, no momento “oportuno”, pretende rever a Emenda Constitucional 81, que prevê a expropriação de propriedades onde forem flagrados trabalhadores em situação análoga à escravidão. “Quando o momento se fizer oportuno, nós devemos, sim, rever a emenda constitucional 81, de 2014, que tornou vulnerável a questão da propriedade privada. É uma emenda que ainda não foi regulamentada e, com toda a certeza, não será regulamentada em nosso governo.” Bolsonaro aproveitou sua participação no evento que ocorre no Dia do Trabalho para dizer que, em seu governo, ele tem “o prazer e a satisfação de ver bandeiras verde e amarela por todo o país”.