Infecções urinárias são problemas causados em qualquer estágio do sistema urinário, assim diz o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, médico e autor do livro Urologia Minimamente Invasiva. É também conhecida como (ITU) Infecção do Trato Urinário, uma vez que abrange todo o sistema urinário, este que é formado pelos rins, ureteres, bexiga urinária e uretra. Por conta da anatomia do corpo feminino, a mulher possui mais chances de adquirir uma infecção urinária tendo em vista que a uretra feminina possui cerca de 5 cm, já a masculina é de 3 a 4 vezes maior.

Os principais sintomas de uma ITU são dor e ardência ao urinar, micção constante e urina com a presença de sangue. Por isso, medidas preventivas para infecções são importantes e devem ser tomadas. A primeira orientação é manter uma boa higiene na região íntima. Urinar e lavar com agua e sabão a gentilia após relações sexuais, limpar a regiao de forma adequada após usar o banheiro, para que bacterias não adentrem a região.

Além disso, é necessário uma boa ingestão de água, de pelo menos 1,5 L por dia, a depender do peso e de condições de cada ser humano, porém é importante que o consumo de água seja expressivo a fim de evitar infecções e manter um bom funcionamento no corpo humano, salienta o médico Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes.

Outra instrução em relação à micção é de esvaziar completamente a bexiga, pois se houver resíduos urinários na bexiga podem desenvolver infecções urinárias. Para as mulheres, manter a região da vulva sempre seca, evitar o uso de roupas apertadas e absorventes de uso diário para impedir o acúmulo de bactérias e aumentar o respiro no local.

Além disso, mulheres grávidas devem ter uma atenção especial, pois durante a gestação há um aumento do peso sobre a bexiga e um aumento nos níveis hormonais, mudando, em grande parte, o funcionamento do corpo, tudo isso favorece o aparecimento de bactérias, por isso, grávidas devem se atentar a todos esses detalhes que vão garantir a sua saúde e do seu bebê, avulta o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, mestre e doutor em urologia pela Universidade de São Paulo.

Por fim, mas não menos importante, é necessário manter uma dieta balanceada. Uma alimentação rica em proteínas e principalmente fibras para que haja um bom funcionamento do metabolismo e do intestino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui