A China construiu a maior usina flutuante de energia solar do mundo em 2017. Fernando Siqueira Carvalho comenta que as plataformas de energia solar estão ficando cada vez mais populares, uma vez que reduzem a evaporação das águas, deixando o ambiente mais frio, o que é ótimo para ambientes muito quentes e úmidos e para evitar o superaquecimento dos painéis. 

A planta flutuante de energia solar foi construída em Anhui, província do leste chinês. Ela foi conectada à rede da antiga região de mineração de carvão que foi inundada em Huainan e contém 116 mil painéis fotovoltaicos e pode gerar 40 megawatts de eletricidade – o suficiente para alimentar uma pequena cidade de até 15 mil residências.

Por ter sido uma área de mineração, a região estava totalmente abandonada e sem valor, devido a quantidade de minérios que tinha na água. Então, Fernando Siqueira Carvalho diz que o uso é muito benéfico pois não só reduz a demanda por terras, mas também melhora a geração dos efeitos de resfriamento da superfície.

A iniciativa, em resumo, é por conta de um compromisso que o governo chinês assumiu de afastar fontes de energias poluidoras do país. Você sabia que milhares de pessoas morrem todos os anos por conta da poluição atmosférica? Ela causa diversas consequências para o nosso corpo, principalmente quando se refere a problemas respiratórios e cânceres de pulmão ou doenças cardiovasculares. Considerada um dos países mais poluentes do mundo, a China vem investindo fortemente em energia renovável, se tornando, aos poucos, uma das maiores geradoras de energia solar do mundo. O país já investiu mais de 100 bilhões de dólares, o maior investimento do setor. Fernando Siqueira Carvalho conta que a plataforma consegue gerar energia limpa na região por mais de 25 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui