Um tiroteio neste domingo, 6, no sudoeste do condado de Miami-Dade, no sul da Flórida, nos Estados Unidos, deixou três mortos e pelo menos seis feridos, disseram as autoridades locais. Os autores dos disparos ainda não identificados. Eles se aproximaram em alguns veículos do estacionamento de uma área comercial e começaram a atirar naqueles que saíam do espaço de eventos Hookah Inn, no qual estava ocorrendo uma festa de formatura. O diretor da polícia de Miami-Dade, Freddy Ramírez, declarou que uma das vítimas é uma mulher que foi oficial de um centro de ressocialização de menores na Flórida e morreu em um hospital próximo. As outras duas, segundo Ramírez, morreram quando o veículo em que estavam colidiu com um muro no campus de Kendall do Miami-Dade College.

Uma arma de fogo foi encontrada dentro do carro, embora a polícia ainda não tenha determinado se ela está diretamente relacionada com o tiroteio. Três mulheres e três homens foram feridos e foram levadas para hospitais. “Essa violência armada tem que parar. É frustrante, todos os fins de semana é a mesma coisa”, lamentou Ramírez em entrevista coletiva. As mortes aconteceram exatamente uma semana após outro ataque com armas no condado de Miami-Dade, que deixou três mortos e pelo menos 20 feridos. Nesse caso, várias pessoas deixavam um show de música urbana no espaço chamado El Mula, em Hialeah, e se dirigindo para seus veículos. A polícia não relatou a prisão dos responsáveis de nenhum dos dois ataques.

Após a notícia do tiroteio de hoje, a prefeita de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, garantiu que não permitirá que “um pequeno grupo de atores violentos” aterrorize o a população. “Estou totalmente comprometida em garantir que o Departamento de Polícia de Miami-Dade tenha todos os recursos necessários para acabar com este ciclo de violência armada e prevenir novas tragédias tirando criminosos violentos das ruas”, afirmou a prefeita.

*Com informações da EFE