A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quinta-feira, 20, que todas as vacinas contra a Covid-19 aprovadas até agora na União Europeia são capazes de combater as variantes conhecidas do coronavírus. No entanto, o diretor regional da OMS na Europa, Hans Henri Kluge, pediu “cautela” e argumentou que a situação pandêmica é uma “ameaça persistente” com “novas incertezas”. “As vacinas podem ser a luz no final do túnel, mas não podemos ser cegados por essa luz”, destacou durante coletiva de imprensa. Por enquanto, a variante do coronavírus mais presente na Europa é a britânica, mas a indiana já foi relatada em 26 dos 53 países em casos geralmente relacionados a pessoas que tinham estado no exterior. Por esse motivo, Kluge defendeu que as viagens internacionais não essenciais deveriam ser evitadas e mostrou-se cético quanto à possibilidade da criação de “passaportes de vacinação”.  A responsável da área de Emergências da OMS na Europa, Catherine Smallwood, também se mostrou a favor da manutenção dos requisitos de viagem em vigência, já que se trata de um momento de “alta transmissão”.

*Com informações da EFE