O número de mortos durante o tiroteio ocorrido na quarta-feira, 27, na Califórnia aumentou para dez após a confirmação do óbito de um ferido que estava hospitalizado em estado crítico. A polícia continua investigando os motivos que levaram o falecido suspeito de 57 anos, Samuel J. Cassidy, a abrir fogo contra os seus colegas de trabalho no pátio da Autoridade de Transporte do Vale de Santa Clara (VTA, na sigla em inglês), cujas instalações são utilizadas para armazenar e fazer a manutenção de vagões de trens. De acordo com o gabinete do xerife do condado de Santa Clara, Cassidy ateou fogo em sua própria casa em San José antes de seguir para o trabalho armado com duas pistolas semiautomáticas e 11 carregadores de munição. A polícia foi avisada do tiroteio às 6h34 do horário local, momento em que os empregados do turno da noite partiam e os empregados da manhã chegavam. Os agentes que foram ao local após o alerta não dispararam, apenas encurralaram o suspeito, que atirou contra o seu próprio corpo. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou na própria quarta-feira que as bandeiras do país fossem hasteadas a meia-mastro em homenagem aos mortos e, em discurso, lamentou ter de tomar novamente esta decisão “apenas algumas semanas depois” de terem ocorrido tiroteios em massa em outras partes do país.

*Com informações da EFE