O Estado de Nova York aprovou nesta terça-feira, 30, um projeto que legaliza o uso recreativo da maconha. A legislação, que permite o cultivo da cannabis, a venda para maiores de 21 anos e a posse de até 85 gramas, é considerada uma das mais abrangentes sobre o assunto nos Estados Unidos. Ela também ampliará o programa de uso medicinal da planta e eliminará os antecedentes de pessoas que foram condenadas por casos relacionados à maconha que deixaram de ser considerados crimes. A iniciativa foi aprovada por 4o votos a 23 no Senado e por 100 votos a 49 na Câmara, mas ainda precisa da aprovação final do governador Andrew Cuomo, que já afirmou que sancionará a medida. “Esta legislação histórica dá justiça a comunidades marginalizadas há muito tempo, abraça uma nova indústria que vai fazer a economia crescer e estabelece garantias de segurança substanciais para a população”, afirmou Cuomo em comunicado. O gabinete do governador indicou que a legalização da maconha pode representar US$ 350 milhões por ano em impostos e criar dezenas de milhares de empregos. Parte dos recursos arrecadados serão destinados ao tratamento contra a dependência química e campanhas de educação. Dessa forma, Nova York se unirá a outros 14 estados norte-americanos, além do distrito de Columbia – que já permitem o uso da cannabis por adultos. No entanto, a estimativa é que o início das comercializações leve de 18 meses a 2 anos.