Por motivos ainda desconhecidos, uma manada de 15 elefantes selvagens estão marchando há mais de um ano pela China. Eles já percorreram um total de 480 quilômetros passando por vilas e pequenas florestas e agora se aproximam da cidade de Kunming, habitada por 8,5 milhões de pessoas. Desde que partiram da Reserva Natural de Xishuangbanna, na fronteira com o Laos, os animais já invadiram uma concessionária de veículos, entraram em um depósito de grãos, devoraram milhos e abacaxis deixados em caminhões e causaram mais de um milhão de dólares em danos. Enquanto isso, eles continuam resistindo aos esforços das autoridades ambientais de desviá-los para áreas menos povoadas do país. O comportamento dos elefantes está chamando atenção dos especialistas, que especulam se eles se perderam, procuram comida ou estão simplesmente migrando sem motivo. A principal suspeita é que a movimentação da manada seja uma consequência da combinação entre esforços de conservação da espécie e diminuição do seu habitat: a população de elefantes da China pulou de 200 para 300 nos últimos anos, mas o desmatamento vem limitando o espaço onde eles naturalmente vivem. Apesar da situação ser preocupante do ponto de vista ambiental, a marcha da manada está sendo motivo de festa entre os chineses. Nesta quinta-feira, 3, os moradores de uma vila perto de Kunming receberam os animais com carrinhos repletos de milho. Outras toneladas de comida estão sendo preparadas para a chegada do grupo à cidade grande. Até a agência de notícias estatal Xinhua se referiu aos 15 elefantes como sendo um “grupo de turismo”. Porém, o governo chinês alertou que a população deve buscar manter distância dos animais, que podem ser perigosos com humanos.