A embarcação militar Jark, considerada o maior navio da Marinha do Irã, naufragou no Golfo de Omã nesta quarta-feira, 2. A causa foi um incêndio que começou na casa de máquinas no dia anterior, quando havia cerca de 400 pessoas a bordo participando de uma missão de treinamento em águas internacionais. Os tripulantes foram resgatados por reboques e helicópteros, mas pelo menos 20 ficaram feridos e tiveram que ser hospitalizados. Os esforços para apagar o fogo no navio de 30 mil toneladas se prolongaram por 20 horas, sem sucesso. O comunicado do Exército do Irã não menciona a causa do incêndio e não faz referência a uma possível sabotagem, como já aconteceu no passado. Nos últimos meses, vários navios iranianos sofreram danos em incidentes suspeitos que as autoridades denunciaram como possível sabotagem por parte de Israel. No último mês de abril, por exemplo, o cargueiro Saviz foi alvo de uma explosão no Mar Vermelho que teria sido provocada por uma mina naval. O naufrágio do Jark é especialmente suspeito por ter acontecido na região do Estreito de Ormuz, estreita via navegável entre o Omã e o Irã por onde passa cerca de um quinto do petróleo mundial. A região tem sido palco de uma escalada de tensão nos últimos anos, sendo que vários atos de sabotagem contra petroleiros e cargueiros foram registrados.

*Com informações da EFE