O ex-jornalista da BBC, Martin Bashir, mentiu para conseguir a entrevista de 1995 em que a Princesa Diana revelou detalhes íntimos do seu casamento fracassado com o Príncipe Charles. As conclusões foram divulgadas nesta quinta-feira, 20, por uma investigação independente liderada pelo ex-juíz da Suprema Corte John Dyson. O inquérito confirmou que Bashir mostrou extratos bancários falsos para o irmão de Lady Di para provar que funcionários da a falar sobre sua vida  realeza eram pagos por jornais britânicos para espionar a Princesa. Isso convenceu Diana a dar a entrevista em que expressa os seus sentimentos sobre o caso que o Príncipe Charles mantinha com Camilla Parker-Bowles, admite que ela mesma estava mantendo um relacionamento extraconjugal e revela ter sofrido com bulimia e automutilação. Pouco depois da reportagem ser assistida por mais de 20 milhões de pessoas, a Rainha Elizabeth II recomendou que o casal se divorciasse.

A investigação concluiu que Martin Bashir, hoje com 58 anos, usou métodos antiéticos para obter a entrevista e violou as regras editoriais da emissora britânica BBC. Após a grande repercussão de sua reportagem com a Princesa Diana, o jornalista continuou sua carreira nos Estados Unidos e mais tarde voltou ao Reino Unido para cobrir temas de religião para a BBC. Ele deixou a emissora em 2016 por motivos de saúde. Em 2013, ele entrevistou Michael Jackson para um documentário da ITV e posteriormente foi alvo de uma queixa ao órgão regulador do setor audiovisual britânico. O astro pop acusou o jornalista de ter transmitido uma imagem distorcida do seu comportamento como pai.