Um ataque deixou pelo menos 18 pessoas mortas em uma selva do Peru nesta segunda-feira, 24, entre elas seis mulheres e duas crianças. O crime aconteceu em uma área de bares e bordéis às margens do rio Ene que é dominada por traficantes de drogas. O principal suspeito é o grupo terrorista Sendero Luminoso, que age como protetor armado dos produtores de cocaína na região. Os membros da organização teriam advertido às pessoas locais para que se retirassem da área e o ataque teria ocorrido devido à desobediência às suas ordens, de acordo com a emissora de notícias peruana N. Imagens do local mostram caixas de balas e um panfleto com o logotipo do Partido Comunista do Peru, nome oficial do Sendero Luminoso, que ordenava que os aldeões não votassem na candidata presidencial Keiko Fujimori. O grupo terrorista, responsável pelo maior número de baixas durante o conflito interno do país entre 1980 e 2000, se transformou nas últimas décadas em uma máfia do tráfico de drogas e não se conheciam ataques contra a população há anos.