Como a duração da imunidade adquirida após a vacinação contra a Covid-19 ainda é desconhecida, o governo dos Estados Unidos afirmou nesta quinta-feira, 15, que já está se preparando para a possibilidade de ter que disponibilizar uma terceira dose à população. Ela seria aplicada, segundo a Casa Branca, entre nove e doze meses depois da data em que o indivíduo recebeu a injeção pela primeira vez. O anúncio foi feito logo depois que o diretor executivo da Pfizer, Albert Bourla, disse em entrevista à emissora de televisão CNBC que as pessoas “provavelmente” precisão receber uma dose anual para continuarem protegidas contra a Covid-19. Anteriormente, estudos iniciais já tinham mostrado que a vacina mantém a maior parte da sua eficácia por pelo menos seis meses, mas ainda não se sabe como fica a proteção passado esse período. Além disso, especialistas já estão advertindo para o surgimento de novas variantes do coronavírus, que podem levar à necessidade de reforços regulares assim como já acontece com a vacina da gripe.