Estudantes e acadêmicos brasileiros foram incluídos na lista de viajantes estrangeiros que podem solicitar a entrada nos Estados Unidos. De acordo com o anúncio realizado pelo Departamento de Estado americano nesta terça-feira, 27, apesar de flexibilizar a regra que vetava a chegada de turistas brasileiros no país desde maio de 2020, a decisão não permite a entrada imediata dos viajantes. A determinação do gabinete do Secretário de Estado, Antony Blinken, autoriza que estudantes, acadêmicos que possuem vistos específicos para programas de intercâmbio, indivíduos em busca de serviços de saúde e jornalistas solicitem uma Exceção de Interesse Nacional (NIE) para ingressar no país. Até o momento, solicitação está aberta a pessoas que residem no Irã, Brasil, China (apenas na região de Schengen), Reino Unido, Irlanda e África do Sul.

Apesar da permissão, os estudantes e acadêmicos brasileiros, chineses, iranianos ou sul-africanos apenas podem solicitar o ingresso no país para programas de intercâmbio que se iniciem a partir de agosto. Após ser o epicentro mundial da pandemia, os EUA estão flexibilização a entrada de viajantes devido à contenção da Covid-19 no país. Com uma ampla campanha de vacinação, que já imuniza a população adulta sem diferenciação de idade, a taxa de contágio e o número de mortes têm despencado na nação.