Testemunhas da morte de George Floyd foram ouvidas nesta terça-feira, 30, no segundo dia do julgamento do ex-policial Derek Chauvin, em Minneapolis, nos Estados Unidos. Uma das pessoas ouvidas foi a adolescente que filmou o vídeo que viralizou com a ação do policial. Darnella Frazier, agora com 18 anos, compartilhou sua história publicamente pela primeira vez. Ela disse ter ficado assombrada pelos gritos de Floyd durante a abordagem que culminou em sua morte. A jovem, que chorou durante o testemunho, disse que o que viu naquele dia mudou sua vida e que, às vezes, fica acordada à noite “pedindo desculpas a George Floyd por não fazer mais e não interagir fisicamente e não salvar sua vida”.

A maioria das testemunhas eram crianças e adolescentes. Elas relataram momentos de angústia com o que aconteceu no cruzamento da 38th street com a Chicago Avenue em South Minneapolis. Já a defesa do policial disse que os agentes se sentiram ameaçados pela multidão crescente e cada vez mais hostil, o que desviou a atenção de cuidar de Floyd. Ao lado de fora do tribunal, manifestações foram registradas. Uma manifestante chegou a se acorrentar. A expectativa é que o julgamento siga praticamente por todo mês de abril.

*Com informações do repórter Fernando Martins