O funeral do príncipe Philip, marido da Rainha Elizabeth II, aconteceu neste sábado, 17, no Castelo de Windsor, na Inglaterra. O Duque de Edimburgo morreu na sexta-feira, dia 9 de abril, de causas naturais. Por causa da pandemia, apenas 30 pessoas acompanharam o evento — entre filhos, netos, outros parentes e a Rainha. O desejo inicial de Philip era que a cerimônia fosse simples e modesta, com apenas 800 convidados. Ele também fez exigências quanto ao carro que conduziu o caixão e as músicas que tocam na Capela de São Jorge, onde ocorreu o funeral.

Às 11 horas do horário de Brasília (15h local), quando o corpo adentrava a Capela, foi feito um minuto de silêncio em memória ao príncipe consorte. Elizabeth já estava dentro da igreja, com vestes pretas, ao lado do chefe da igreja anglicana, Justin Welby — que conduziu, em seguida, a cerimônia religiosa. O período de luto oficial na Inglaterra durou desde o anúncio da morte até o sepultamento de Philip. Hoje, as bandeiras já podem ser retiradas do meio mastro. Na Família Real, no entanto, o período de resguardo vai durar mais alguns dias.

Tanto o príncipe William quanto Harry, que rompeu com a monarquia, compareceram ao funeral. Kate Middleton acompanhou o marido, mas Meghan Markle, que está grávida, ficou na Califórnia, nos Estados Unidos, por recomendações médicas. Príncipes George e Louis, filhos de William, além da irmã, princesa Charlotte, não foram convidados por serem crianças. O príncipe Charles, próximo na sucessão do trono e filho de Philip e Elizabeth, estava presente. O uso de máscara é obrigatório, mas as vestes militares foram dispensadas a pedido da Rainha, em aceno ao neto Harry, que perdeu as condecorações ao abdicar das suas funções reais.