Pelo menos 32 pessoas morreram e outras 108 ficaram feridas após dois trens se chocarem um contra o outro na cidade de Sohag, no Egito, nesta sexta-feira, 26. A colisão fez com que três vagões capotassem, deixando os passageiros presos em meio aos escombros. Alguns transeuntes ajudaram no resgate das vítimas, que foram transferidas para quatro hospitais da região. Segundo a autoridade ferroviária do Egito, o acidente aconteceu depois que os freios de emergência de um dos trens foram acionados por pessoas ainda não identificadas. O comboio parou e o que vinha logo atrás dele não não conseguiu frear a tempo, apesar de estar transitando em uma velocidade baixa. O Ministério Público abriu uma investigação sobre o caso e o presidente Abdel Fattah el-Sisi prometeu punir os responsáveis pela colisão.

Os acidentes com trens são comuns no Egito, que possui uma das maiores e mais antigas redes ferroviárias da África. De acordo com a emissora de televisão Al Jazeera, houve 1.793 ocorrências desse tipo no país só em 2017, ano em que o choque entre dois trens de passageiros em Alexandria matou 43 pessoas. O acidente mais mortal, no entanto, aconteceu em 2002: na ocasião, mais de 300 pessoas perderam as suas vidas após um incêndio em um trem de alta velocidade que viajava do Cairo em direção ao sul do Egito. Em 2018, o presidente Abdel Fattah el-Sisi afirmou que seriam necessários US$ 14,1 bilhões para reformar o sistema degradado, dinheiro do qual o governo egípcio carece.