O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, manterá em 15 mil a cota de refugiados recebidos pelo país a cada ano, sendo que no máximo 3 mil poderão ser procedentes da América Latina e do Caribe. A quantidade total, que tinha sido estabelecida por Donald Trump, é considerada a mais baixa da história e contradiz a promessa do democrata de elevar o número para 62,5 mil. Confirmada nesta sexta-feira, 16, a decisão deve desagradar organizações de direitos humanos e membros do Partido Democrata, incluindo a presidente da Câmara, Nancy Pelosi. Fontes ligadas à Casa Branca justificaram a medida citando a necessidade de reconstruir o programada de reassentamento de refugiados, que estaria “ainda mais dizimado” do que o governo Biden imaginava inicialmente, além dos desafios apresentados pela pandemia do novo coronavírus.

*Com informações da EFE