O Aeroporto Ecológico das Ilhas de Galápagos, no Equador, encontrou uma bagagem com 185 filhotes de tartaruga-gigante neste domingo, 28. Dez deles estavam mortos, enquanto os demais sobreviveram apesar de estarem embrulhados em embalagens plásticas. Como as tartarugas não têm mais de três meses de idade, é difícil detectar a qual das ilhas do arquipélago elas pertencem. Por enquanto, elas foram colocadas em um alojamento especial onde podem se mover em segurança. Nenhum suspeito foi detido ainda, mas é de conhecimento das autoridades locais que as malas tinham como destino a cidade continental de Guayaquil. O ministro do Meio Ambiente do Equador, Marcelo Mata, repudiou o ato ilegal e disse que garantirá que os responsáveis sejam punidos de forma drástica.

O Aeroporto Ecológico de Galápagos assinou a Declaração do Palácio de Buckingham, que visa combater o tráfico de espécies no mundo. Por esse motivo, a empresa treina constantemente os funcionários e está empenhada em notificar as autoridades sobre acontecimentos deste tipo. Quando identifica carregamentos suspeitos de conterem vida selvagem transportada ilegalmente, o aeroporto pode se recusar a aceitar ou enviar o carregamento, como aconteceu neste caso. As Ilhas Galápagos foram declaradas Patrimônio Mundial pela Unesco em 1978, graças à rica biodiversidade terrestre e marinha, lar de muitas espécies únicas no mundo. Composto por 13 ilhas e 42 ilhotas, o arquipélago é considerado um laboratório natural onde o cientista inglês Charles Darwin desenvolveu a teoria sobre a evolução e seleção natural das espécies.