O governo do presidente Alberto Fernández decidiu suspender a partir deste sábado, 27, todos os voos regulares que ligam a Argentina ao Brasil, ao Chile e ao México. Anteriormente, as rotas de ligação com o Reino Unido já haviam sido vetadas. O motivo das suspensões seria o alto número de casos de Covid-19 e a existência de variantes do Sars-Cov-2 nessas nações, além do desejo das autoridades argentinas de evitar uma segunda onda de contaminações pelo novo coronavírus em seu próprio território enquanto a campanha de vacinação avança. Até agora, 2,8 milhões de pessoas já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 na Argentina, enquanto cerca de 650 mil tomaram as duas injeções e completaram o processo de imunização. O governo salientou que recomenda a todos os cidadãos e residentes que não viajem para fora do país. No entanto, aqueles que precisarem retornar do exterior deverão apresentar resultado negativo para três testes RT-PCR: o primeiro feito antes do embarque, o segundo logo após a chegada à Argentina e o terceiro sete dias depois da reentrada. Todos devem ser realizados às custas do próprio passageiro.

*Com informações da EFE