A Argentina segue sob medidas de restrição mais rígidas até 21 de maio, na tentativa de combater um novo surto de Covid-19. O presidente, Alberto Fernández, fez o anúncio nesta sexta-feira, 30, após o país registrar um novo recorde de mortes relacionadas à doença. Serão mantidas as restrições à circulação entre 20h e 6h para zonas de alto risco epidemiológico. De acordo com Fernandez, essa é a melhor forma de manter a atividade econômica funcionando dentro do possível. Estabelecimentos comerciais devem fechar às 19h, mas bares e restaurantes podem atender os clientes por delivery depois do horário. As escolas devem continuar em regime de aulas remotas.

A área metropolitana de Buenos Aires está no nível mais crítico do sistema criado pelo governo. O prefeito da capital, Horacio Rodríguez Larreta, travou um novo embate após manter as instituições de ensino da cidade abertas, com base em uma decisão judicial. Alberto Fernandez, por sua vez, explicou que as medidas atuais tiveram um bom resultado, mas pediu um novo esforço da população para controlar a segunda onda da Covid-19. O presidente enviará ao Congresso um projeto de lei para validar os poderes da Presidência e dos governadores para se ter medidas cautelares durante esta situação excepcional.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda