O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, negou ter realizado o casamento entre o príncipe Harry e Meghan Markle três dias antes da cerimônia oficial no Reino Unido. Nesta quarta-feira, 31, o clérigo reconheceu que teve uma série de reuniões pastorais privadas com o duque e a duquesa, mas afirmou que o casamento legal foi no dia 19 de maio de 2018. “Nesse dia, assinei a certidão de casamento. É um documento legal e teria cometido um delito grave, se não o tivesse celebrado naquele dia”, disse ao jornal italiano La Repubblica. A declaração do arcebispo esclarece alguns questionamentos que surgiram após uma entrevista polêmica do casal à apresentadora Oprah Winfrey. Durante a gravação que foi transmitida pela emissora de televisão norte-americana CBS, Meghan Markle conta que trocou votos com o príncipe Harry em privado, diante do arcebispo Justin Welby, três dias antes do evento público. “Três dias antes do nosso casamento, nós nos casamos”, afirmou a duquesa. “Ninguém sabe. Chamamos o arcebispo e dissemos a ele: ‘Esse será o espetáculo para o mundo, mas queremos um momento apenas para nós dois’”, completou.