As duas principais instituições da União Europeia querem estabelecer uma lei histórica contra as mudanças climáticas. O acordo pretende reduzir as emissões de gases do efeito estufa em pelo menos 55% até 2030, além do compromisso do bloco de tornar-se neutro para o clima até 2050. A Comissão e o Parlamento Europeu se adiantaram à Cúpula do Clima convocada pelos Estados Unidos, marcada para começar nesta quinta-feira, 22. Durante o debate, o Parlamento Europeu defendeu que a meta de redução fosse de 60%, enquanto que a Comissão Europeia estabeleceu um objetivo ainda mais ousado, pelo menos 55%. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou que a lei coloca o bloco no caminho verde para a próxima geração.

Entre as propostas estão: o corte de emissões dos setores poluentes, em vez de depender da remoção de C-O-2 da atmosfera por meio de florestas e pântanos, que absorvem carbono; a criação de um “Conselho Científico Europeu sobre Mudanças Climáticas”, que será composto por 15 especialistas de diferentes nacionalidades, e o Acordo de Paris, que não ficou de fora dos próximos 30 anos. O acordo entre o Parlamento Europeu e os 27 governos da União Europeia ainda precisa da aprovação formal dos Parlamentos e dos governos nacionais. O ministro do Ambiente e Ação Climática de Portugal, João Pedro Fernandes, reiterou que os 27 estados-membros estão empenhados com o compromisso ambiental e enviam dessa forma um sinal para o mundo.

*Com informações da repórter Caterina Achutti