A comunidade internacional aguarda um anúncio de cessar-fogo entre Israel e a Faixa de Gaza ainda nesta quinta-feira, 20. O Hamas, movimento islâmico palestino que controla o enclave, confirmou que isso “provavelmente acontecerá em breve”. “Penso que os esforços que estão sendo feitos para um cessar-fogo vão ser bem sucedidos”, declarou Abu Marzuq, um membro do alto escalão, em entrevista à uma emissora de televisão do Líbano. Já a imprensa israelense afirma que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu se reunirá com o seu gabinete ainda na noite desta quinta-feira para discutir um possível cessar-fogo. No entanto, até agora as autoridades israelenses negaram essa possibilidade e seguiram bombardeando o enclave, de onde também continuaram sendo disparados projéteis. “Queremos alcançar os objetivos da operação. Operações anteriores duraram muito tempo, então não é possível estabelecer um cronograma”, afirmou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em uma entrevista coletiva.

Na quarta-feira, 19, um ataque aéreo trágico contra a Faixa de Gaza matou um deficiente físico, sua esposa grávida e a filha de 3 anos do casal. Nesta quinta-feira, 20, o Exército de Israel afirma ter atingido ao menos quatro casas de comandantes do Hamas, além de uma unidade de armazenamento de armas do grupo. Desde o início das hostilidades há 11 dias, morreram um total de 230 palestinos, incluindo 64 crianças e 38 mulheres, além de 13 israelenses. A agência humanitária da Organização das Nações Unidas (ONU) estima ainda que quase 450 edifícios de Gaza foram destruídos ou seriamente danificados, incluindo seis hospitais e nove postos de saúde. Já o Ministério da Informação da Faixa de Gaza estipula que os danos de infraestrutura causados pelo conflito correspondem a cerca de US$ 250 milhões.

O Conselho dos Direitos Humanos da ONU se reunirá em caráter de urgência na próxima quinta-feira, 27, para discutir a escalada de violência na região. O encontro foi convocado por iniciativa do Paquistão, que é coordenador da Organização para a Cooperação Islâmica, e recebeu o apoio de outros 63 países. Devido às restrições que continuam em vigor na Suíça, onde se encontra a sede europeia da ONU, o debate terá de ser realizado virtualmente.

Líbano

O Exército de Israel afirmou que quatro foguetes disparados do Líbano atingiram seu território nesta quarta-feira, 19. No entanto, dois caíram no mar, um atingiu uma área aberta e o último foi interceptado pelas defesas áreas de Israel antes que pudesse causar qualquer dano. As autoridades libanesas afirmaram que os projéteis foram lançados do sul do país, mas nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque ainda. Em resposta, Israel bombardeou alvos no território libanês.