Rôber Monteiro é formado em administração e sempre atuou na área. Em 2017, ele resolveu mudar de vida, fez um curso de sommelier de cerveja para começar a trabalhar com o que realmente dava prazer. E depois do investimento, ele esta colhendo os frutos. A Classificação Brasileira de Ocupações do Ministério da Economia terá a categoria Sommelier de Cervejas, profissionalizando a ocupação no país. A inclusão será feita no início de 2022 e Rôber, que tem uma cervejaria artesanal em Campos do Jordão, comemorou muito o reconhecimento. “Atuar como sommelier de cervejas é muito gratificante, porque você tem contato com as pessoas em um momento gostoso. As pessoas estão reunidas tomando cerveja, é um momento bacana. É muito legal poder falar sobre cervejas, indicar uma cerveja para a ocasião, para o prato que a pessoa está pedindo ou o contrário.”

Reconhecer oficialmente o sommelier de cerveja reflete o momento de expansão que a cerveja, principalmente artesanal, vive no Brasil. A coordenadora do curso de sommelieria da Escola Superior de Cerveja e Malte, Fernanda Bressiani, diz que o cargo tem um papel fundamental, já que é um disseminador importante da cultura cervejeira, mesmo com os bares fechados. “Hoje as pessoas pagam muito mais pela experiência do que pelo produto em si. Tenho cervejas para tomar enquanto assisto Netflix, enquanto faço faxina, leio livro, enquanto eu como, faço um happy tour virtual. Sem dúvida nenhuma, essa experiência vai ficar gravada na vida das pessoas. É uma oportunidade incrível, em tempos de crise, trazer a experiência para dentro da casa das pessoas”, afirmou. De acordo com a Escola Superior de Cerveja e Malte, de 2010 para 2019, o número de cervejarias passou de 226 para 1.209.

*Com informações do repórter Victor Moraes