O Estado de São Paulo registrou pela primeira vez após dois meses de alta uma queda concomitante nos indicadores de casos, internações e óbitos por Covid-19 no boletim epidemiológico apresentado nesta sexta-feira, 23. O número de novos contaminados caiu em 14,3%; de pessoas hospitalizadas caiu 6% e de mortes caiu 23,6%. As taxas de ocupação nas UTIs do Estado, que tinham ultrapassado a marca dos 92% no começo de abril, agora são de 81,1%. Na Grande São Paulo, o número é de 79,2%. “Nós já vinhamos apresentando uma queda há quatro semanas das internações, mas é a nossa primeira vez nesse período com a queda de óbitos. Deixando muito claro que o óbito vai ser algo visto mais tardiamente na pandemia”, afirmou o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn. Ele conectou a queda de mortes às alterações de circulação no Estado por causa do Plano São Paulo.

Após quase dois meses de medidas restritivas intensas e toque de recolher, São Paulo está em fase de transição do Plano SP desde o último sábado, 17, e voltou a abrir comércios entre as 11h e 19h e permitir a realização de cultos religiosos no domingo, 18. A partir deste sábado, 24, o setor de serviços, que abrange a área de restaurantes, salões de beleza e academias, pode voltar a funcionar, assim como clubes e parques de todo o Estado. Todos os estabelecimentos deverão operar com 25% da ocupação e terão horário reduzido. A próxima atualização do Plano SP deve ser feita no dia 1º de maio. Até o momento, o Estado tem 2.811.562 casos confirmados e 91.673 óbitos por Covid-19 registrados desde o início da pandemia.