As cirurgias eletivas, aquelas que podem ser agendadas e são programadas antecipadamente, estão suspensas na rede federal de saúde do Rio de Janeiro. Não haverá, durante um bom tempo, essas cirurgias eletivas. O objetivo é liberar mais leitos para pacientes com Covid-19. O quadro da pandemia se deteriorou nos últimos dias no Rio e medidas restritivas vêm sendo adotadas. Cálculos de autoridades do município do estado do Rio de Janeiro dão conta de que a rede federal teria 800 que poderiam potencialmente ser utilizados na guerra contra o avanço da pandemia de coronavírus. Na próxima semana, 80 desses 800 leitos serão abertos, porém as autoridades locais entendem que, nos próximos dias, podem ser viabilizados 300 desses 800 leitos, desde que haja material humano, profissionais de saúde, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem disponíveis para atuar, especialmente em dois desses hospitais federais, Lagoa e Ipanema.

* Com informações do repórter Rodrigo Viga