O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) interrompeu, durante a madrugada deste domingo, 21, uma festa clandestina na região de Interlagos, na Zona Sul de São Paulo. Em suas redes sociais, Frota publicou a mensagem: “Nessa madrugada não foi diferente para a nossa força-tarefa. O grande momento chegou! Fechamos mais uma clandestina agora em Interlagos. Estamos prontos e aguardando vocês para uma noite incrível!”. Junto à legenda, o deputado postou um vídeo do momento em que o evento foi interrompido. “Meia noite e meia estamos aqui na Avenida Atlântica, no ‘El Divino Bar’, também conhecido como ‘Prainha’. Recebemos a denúncia de uma festa clandestina e viemos para cá. Já identificamos o organizador, mais uma vez encontramos as pessoas sem máscaras e aglomeradas, sem se preocupar com álcool em gel, sem medir a temperatura. Além disso, há muitas bebidas falsificadas e as saídas de emergência estão fechadas com cadeado. Se acontece algo, como essas pessoas sairiam daqui? Encontramos um verdadeiro caos. A força-tarefa está aqui para isso: optamos pela vida, enquanto eles optam pela morte”, afirmou o deputado no vídeo.

Esta não foi a primeira vez que o parlamentar participou de um flagrante relacionado às festas clandestinas. No último dia 20, ele interceptou um evento em Carapicuíba e, no dia 14, junto à operação policial, flagrou o jogador Gabigol, o funkeiro MC Gui e o cantor Rafael Vanucci em um cassino clandestino em São Paulo. Nesta semana, Frota apresentou à Câmara dos Deputados um projeto de lei para criminalizar a realização de festas clandestinas em meio à pandemia do novo coronavírus no país. Com isso, ele acredita que conseguirá inibir parte das aglomerações ilegais. A proposta do deputado prevê pena de até seis anos de reclusão e multa de R$ 100 mil a R$ 500 mil para o responsável do evento.