Os funcionários do Metrô de São Paulo iniciaram, nesta quarta-feira, 19, uma greve. Com isso, quatro linhas do transporte estão paralisadas. São elas: Linha 1 – Azul, Linha 2 – Verde, Linha 3 – Vermelha e Linha 15 – Prata. Essas estações concentram 7,2 mil funcionários. As linhas 4 – Amarela e 5 – Lilás não estão incluídas. A decisão pela paralisação aconteceu na noite da terça-feira, 18, após o Metrô não comparecer em uma audiência de conciliação na Justiça, alegando que o que tinha que apresentar frente às reivindicações da categoria já foi apresentado e recusado pelo sindicato.

Os metroviários pedem reajuste salarial em 10%, além dos adicionais noturnos em 50% e férias em 70%. Muitos passageiros foram pegos de surpresa. Alguns já desistiram e voltaram para casa, outros recorrem alternativas de transporte, como ônibus e carro por aplicativo, e ainda tem quem espere a situação normalizar. O Metrô considera inadmissível que o Sindicato dos Metroviários, com toda a linha de frente vacinada contra a Covid-19 e com a crise econômica, decida fazer uma greve — prejudicando o cidadão que precisa do transporte público para trabalhar. A empresa afirmou que fez uma proposta de acordo salario de 2,61% não retroativo a partir de 1º de janeiro de 2022, mas o sindicato não aceitou.

*Mais informações em instantes