Bloqueios sanitários voltam a ser instalados em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, neste domingo, 28. A barreira chegou a ser suspensa por determinação da Polícia Rodoviária Estadual após a medida causar filas de espera de até duas horas para a entrada no município. O principal objetivo da barreira é impedir que pessoas contaminadas pelo coronavírus entrem na cidade. A blitz do município realizou 1.010 testes rápidos de Covid-19, com 28 diagnósticos positivos para a doença neste sábado. Os passageiros infectados foram direcionados a retornar e procurar atendimento médico. “Se não fizermos direito agora, esse vírus irá perdurar. Nós precisamos da parceria de todos. Vamos fazer um esforço, porque não temos mais condições de continuar atendendo as pessoas nos hospitais”, disse o prefeito Felipe Augusto.

Ação na cidade litorânea conta com a paralisação de veículos com placas de outros municípios na entrada da cidade. Os passageiros recebem orientações sobre o enfrentamento à pandemia, têm a temperatura corporal aferida e passam por um teste rápida para a doença. Desinfecção dos pneus com uma solução à base de hipoclorito de sódio também completa a medida de prevenção. Em menos de 24 horas, quase três mil veículos entraram no município pela Costa Sul. De acordo com a prefeitura, o sistema municipal de saúde pode entrar em colapso devido a maior circulação de pessoas. Neste sábado, dois  pacientes internados no Hospital de Clínicas da Costa Sul precisaram ser intubados. Um deles foi removido para o Pronto Socorro Respiratório, fazendo com a unidade chegasse ao limite. O outro aguardava transferência.

Outras cidades

Em Ubatuba, também no litoral de São Paulo, moradores fizeram protestos na noite de sexta-feira, 26, na rodovia Oswaldo Cruz para evitar que turistas entrassem na cidade. O grupo bloqueou totalmente a via por mais de três horas. Segundo o Departamento de Estradas de Rodagem, a ocorrência terminou por volta das 2 horas da madrugada de sábado. A baixada Santista, em lockdown desde 23 de março, também adotou bloqueios para conter o fluxo de turistas. Em Santos, a barreira sanitária abordou mais de 500 veículos, bloqueando o acesso de 15. A cidade só está permitindo a entrada de carros de passeio que comprovarem a necessidade de trabalho ou consulta médica. As unidades de terapia intensiva estão com 90% de ocupação na rede pública e 93% na rede privada. Em nota, a prefeitura Guarujá disse que montou seis barreiras sanitárias para conter a entrada do que chamou de “turistas irresponsáveis”. A cidade impediu o acesso de cerca de 400 veículos entre sexta e sábado. As prefeituras culpam o megaferiado decretado na Capital paulista e no ABC pelo aumento de pessoas no litoral.

*Com informações da repórter Nanny Cox