O governo do Estado de São Paulo antecipou o calendário de vacinação contra Covid-19 e vai imunizar os idosos a partir de 69 anos a partir do dia 27 de março. Cerca de 910 mil devem ser imunizadas nesta nova etapa. Nesta sexta-feira, 19, começou a aplicação das doses para os idosos com mais de 72 anos, que inicialmente estava prevista para o dia 22 de março. São Paulo enfrenta o pior momento da pandemia até agora. Em relação a última semana epidemiológica do coronavírus, o Estado teve um aumento de 13% nos casos, 29,7% nos óbitos e 14,1% nas internações.

O vice-governador Rodrigo Garcia lembrou que “quarentena não é férias” e disse que São Paulo já tem medidas equivalentes a um lockdown. “As medidas adotadas em São Paulo e por algumas prefeituras já são equivalentes ao lockdown. O que nós esperamos é que elas surtam o efeito de um lockdown”, declarou Garcia. O membro do Centro de Contingência, José Medina, afirmou que o fechamento total é difícil de ser aplicado na nossa cultura, assim como nos Estados Unidos. “Medidas gradativas são mais apropriadas ao nosso Estado do que um lockdown como é definido em outros países.”

Mais cedo, no Instituto Butantan, foram entregues mais 2 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra o coronavírus produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac, ao Ministério da Saúde. Hoje, 90% das doses aplicadas no Brasil são do imunizante. Nesta semana foi realizada a maior entrega semanal da CoronaVac: 7,3 milhões de doses. Até o fim de março, serão entregues 11,5 milhões que já foram produzidas e aguardam liberação do controle de qualidade. Já são 22,7 milhões de doses da vacina prontas para serem distribuídas e aplicadas na população de todo o Brasil.

De acordo com o governo estadual, o número de pessoas circulando no transporte público metropolitano (Metro, CPTM e EMTU) sofreu uma queda significativa de 62% na Fase Emergencial do Plano São Paulo. Mesmo com o tombo, 100% das frotas estão nas ruas operando. O Estado de São Paulo tem hoje 2.280.033 casos de coronavírus e 66.798 mortes pela doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 90,6% no Estado e 91% na Grande São Paulo. O número de internados está em 11.410 em UTIs e 15.531 em enfermarias — entre casos confirmados e suspeitos.