O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, voltou a falar, neste domingo, 6, sobre o processo de mudança no acervo da instituição, que, segundo ele, contraria a “missão institucional”. “Faltam cinco dias para o exorcismo do Marxismo na Fundação Palmares! Serão EXCLUÍDAS do acervo obras de e sobre o terrorista/psicopata Marighella, o racista/homofóbico Che Guevara e o genocida Josef Stalin. Eles nada têm a ver com a Cultura de temática negra”, escreveu no Twitter. Segundo o dirigente da instituição, está sendo elaborado um relatório sobre o acervo cultural que “mostrará que o legado dos 30 anos de gestão da esquerda foi a corrupção da cultura negra e o desvirtuamento da instituição pelo comunismo.”

Camargo apontou que as obras ficarão em uma estante reservada aos “livros comprobatórios”. Assim, as pessoas que quiserem conferir o acervo terão que acessar ao chamado “Cantinho Comunista”. Em outras publicações, Camargo afirma que os livros serão doados e questiona nas redes sociais se há interessados. Ele ainda reitera que está retirando de acervo as obras porque possui “compromisso com a cultura”. “É um escândalo! É um escárnio! Sobre Karl Marx, temos mais de 400 obras. Sobre Stalin e Lenin, temos uma centena de obras. Todas contrariam nossa missão institucional. O marxismo será exorcizado da Palmares! Compromisso com a cultura!”, concluiu.