Após a ação durante o protesto contra o governo no último final de semana no Recife, o comandante da PM de Pernambuco, Vanildo Maranhão, pediu exoneração do cargo e foi substituído pelo coronel José Roberto Santana — até então diretor de Planejamento Operacional da corporação. O pedido veio após a divulgação de imagens que mostram o Batalhão de Choque atirando contra os manifestantes no centro da cidade. Não há registros de agressões por parte do grupo contra a força policial. Já o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, permanece no cargo. Entretanto, o Ministério Público alega que, dois dias antes da confusão, havia alertado Pádua sobre a necessidade de orientar a Polícia Militar para evitar eventuais excessos no ato. Na operação, dois homens foram atingidos com balas de borracha nos olhos e perderam parte da visão. Segundo o governo de Pernambuco, a operação não foi autorizada. As investigações continuam.

*Com informações da repórter Caterina Achutti