Um catarinense de 36 anos de idade morreu após um salto de base jump no sábado, 23, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Ele e um amigo fizeram um salto da Pedra da Gávea, um dos locais preferidos para os praticantes de esportes radicais de voo livre. Eduardo Giovani Carvalho da Silva enfrentou um sábado com fortes ventos e com rajadas que chegaram a quase 60 km/h. O caterinense de Joinville teria perdido controle no salto do voo e se chocou com um prédio de São Conrado antes de cair na alto estrada Lagoa/Barra, quando ainda foi atropelado por um veículo que passava pelo local. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas Eduardo já estava morto. O amigo dele conseguiu fazer um pouso forçado. De acordo com parentes da vítima, ele foi para o Rio justamente para praticar o base jump, que é um esporte radical em que os praticantes escolhem pontos altos, torres, colinas, montanhas, prédios para saltarem sempre de mais de 80, 100 m de altura. O corpo dele deve ser levado nas próximas horas para Joinville, em Santa Catarina, para o sepultamento. A polícia do Rio de Janeiro abriu um inquérito para investigar a morte.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga